Reajustes dos Servidores Federais

Tipografia

Divulgamos o estudo elaborado pelo Ministério do Planejamento, acerca do Impacto das Propostas de Reajuste dos Servidores Federais, para que nossos filiados fiquem bem informados.

 

Como percentual do PIB, a União observa trajetória de queda das despesa com pessoal, padrão também diverso do ocorrido com os Estados e DF.

 

Em termos reais, a despesa com pessoal da União demonstra trajetória estável em relação à inflação (IPCA), padrão distinto dos Estados e DF.

 

Com relação à Política de Reajuste Salarial dos Servidores Públicos é importante ressaltar:

  • Em 2011 não foram concedidos reajustes amplos, apenas os residuais de negociações anteriores.
  • Em 2012 não foram concedidos reajustes, exceto carreiras de educação e de ciência e tecnologia.
  • Entre 2013 e 2015 os reajustes concedidos foram no geral de 5,0% a cada ano, com impacto anual de 5,4% sobre a folha, acumulando 17% no período.
  • Entre 2011 e 2015, o reajuste concedido, considerando os três Poderes do Governo Central, totalizou 18,0%, resultado abaixo da inflação medida pelo IPCA para o período, 40,6%.
  • O reajuste aos servidores federais também ficou abaixo do concedido aos trabalhadores da inciativa privada, que tiveram, em média, reajuste de 49,2% entre janeiro de 2011 e dezembro de 2015, segundo o Dieese.

 

 

O valor acumulado do reajuste, como despesa primária, no fim de 2018, é de R$ 62,7 bilhões. Com isso, o Impacto Primário do reajuste calculado sobre a folha de pagamentos, sem reajuste e acumulada no período, é de 8,2%.