Bom Senso...

Tipografia

Frequentemente alguns filiados fazem contato conosco para informar que em certo momento optaram por constituir advogado “particular” para defende-lo em determinada demanda. Tal conduta parece-nos até um ato comum, pois muitas vezes este advogado é um familiar, amigo, conhecido ou indicado.

Mas...
Precisamos evidenciar que não haverá interferência por parte do jurídico do SINDFAZ/PR-SC quanto ao processamento destas situações, quer seja administrativo ou judicial. Não existe razão para o sindicato avaliar ou se pronunciar a respeito do fato.

Ou seja...
Os motivos para não apresentarmos manifestações nestes processos:
- o filiado contratou o profissional para apresentar defesa na sua questão e consequentemente está remunerando-o;
- normalmente o valor cobrado por estes profissionais é bem acima daquilo que é praticado pelos advogados parceiros do SINDFAZ;
- a contratação deste advogado deveria incluir o repasse de todas as informações completas e de forma rotineira;
- não requerer ao advogado contratado os esclarecimentos necessários é deixar de valorizar os honorários que você está pagando;
- solicitar que o jurídico da entidade repasse informações, acompanhe e analise o andamento da demanda, ou venha indicar o “passo-a-passo” do trabalho contratado com outro profissional, fere o bom senso e consequentemente compromete o valioso tempo de quem trabalha para manter as questões jurídicas próprias em franca ascensão.
Sabemos que a escolha do profissional é algo pessoal, porém, em determinados  momentos lamentamos, porque o filiado contrata profissional despreparado e acaba transtornando sua vida, o que faz com que nos procure pedindo o auxílio, o que muitas vezes é impossível...

Por fim...
Por questões éticas, por ser deselegante e infrutífero, a Diretoria deliberou que o jurídico da entidade vai se preservar no direito de não atender estas situações, até para poder inter-romper este rotundo corrompido.